segunda-feira, 6 de maio de 2013

Separação

Gabriela Passy

Amorosa. Familiar. Forçada. Espontânea. Superável. Insuportável. Amigável, litigiosa, com divisão parcial ou total de bens. Dolorosa, aliviante, traumática e até desesperadora. Daquelas que você é capaz de superar em três dias e daquelas que o recalque continua batendo pela vida inteira. Inesperada ou planejada. Com ou sem traição, causada pela morte ou pela distância. Tem quem seja capaz de encarar como a coisa mais natural do mundo e quem fique borrando o rímel durante semanas a fio. O negócio aqui é: não é possível encontrar no mundo uma alma viva que já não tenha passado por uma separação.

Foi bem fácil e bem difícil montar essa playlist. Por que se tem uma coisa que artista gosta de fazer é chorar as pitangas e o leite derramado, todos juntos e ao mesmo tempo. A quantidade é impressionante: desde aquelas clichezonas que não podem faltar até as mais desconhecidas e recém apresentadas. Fiquei maluca tentando organizar em categorias. Cheguei inclusive a cogitar botar em uso a velha e fora de moda ordem alfabética. O que eu fiz? O que me deu na telha, só pra não perder o costume. 

Vou começar com as mais tristes de todas, pra chorar logo no começo. A categoria é "Separação por Morte", e Tears in Heaven, do Eric Clapton, e Last Kiss, do Pearl Jam, são as duas que eu selecionei pra esse primeiro round.


Agora vem a seção "Nem-ligo-que-terminamos-quero-que-você-morra", estrelando a minha rainha Beyoncé, a Lily Allen, Nervoso e os Calmantes e a dupla sertaneja Thaeme e Thiago.


"Fossa" - obviamente, a categoria que encontrou mais adeptos e precisou de um player dos grandes.


Pra encerrar e lembrar todo mundo que não há nada que o tempo nem uns copos de bebida não resolvam, a seção "Eu Sou Forte e Vou Superar".


P.S.: Sei que faltou muito. Desculpem. :)

Nenhum comentário:

Postar um comentário