quarta-feira, 27 de março de 2013

Sobre uma Música

Vanessa Souza

Um dia, quando vocês se apaixonarem à primeira vista, vocês saberão.
Mas é difícil demais que isso aconteça. É quase impossível.
Não sei se é exatamente o que aconteceu comigo uma vez, mas era próximo a isto:

Você olha para a pessoa pela primeira vez e fica sem reação. Sem reação nenhuma. Só olha. Não quer nem chegar perto para não estragar a visão maravilhosa daquela Pessoa.
Passa pela sua cabeça que 'é esse'. É esse indivíduo e não pode ser mais ninguém.
É algo grande, sem explicação, sem fim, você simplesmente não pode ir embora e nunca mais ver aquela Pessoa na vida.
Você precisa daquela visão, precisa. Não é só questão de querer.
E você sabe que é diferente de tudo que já lhe ocorreu antes porque todas as outras pessoas comuns te convenceram, de um jeito ou de outro, de que elas mereciam alguma atenção.
(ou outras pessoas comuns te convenceram de que determinada pessoa comum merecia algum do seu tempo)
Mas essa nova Pessoa não. Essa não precisa de nada ou ninguém para te convencer. Só a visão que se tem dela te convence. E não, longe de mim estar falando de beleza. Essa aí, que vendem empacotada e rotulada. Deus que me livre. Isto de que estou falando deve ter mais a ver com um charme, mesmo. Algo que parece tão normal, mas é tão único.
Mas voltando: é aquilo, nada mais é melhor, nada foi melhor, nada será e você sabe só de olhar. Só de observar por um momentinho a Pessoa agir. É incrível, mágico, fora do tão conhecido comum.

Hoje isso me aconteceu de novo. Mas não foi uma Pessoa. Foi uma Música.
Não deve ter dado três acordes e era 'aquela'. Aquela Música. Ela era linda. Ela tinha algo a mais. O instrumental, diriam os insensíveis, podia até ser muito parecido com o que se vê por aí (assim como era a Pessoa), mas não, era algo diferente, que só ela tem, que nenhuma outra música terá, e eu só precisei ouvi-la uma vez para saber disso.
Não soube se ria, se chorava, se só sorria, se contava pra todo mundo, se ouvia outra vez.
Ela foi feita para mim, eu a amo desde já.
Até teria medo de apresentá-la para outras pessoas, mas música não precisa ser monogâmica.
(nem as pessoas, mas eu não saberia lidar com isso)

Talvez ninguém sinta o mesmo que eu, mas não interessa. Esta é a Música:


(A banda Radial é porto-riquenha e a música Bienvenida está em seu terceiro álbum, chamado Un Día Extraño, de 2011.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário