quinta-feira, 7 de março de 2013

Só por uma noite

João de Oliveira*

Quando acordei, era um dia comum, mas isso só valeu por dois minutos. Um amigo, meio pasmo, me mandou entrar no Facebook. Quando vi na internet o que eles falavam sobre o Chorão, achei que não era sério.

Não precisei segurar minhas lágrimas, a tristeza demorou a bater. Me vieram primeiro os gritos de alguns amigos em uma festa, o canto conjunto de outros num carro, os comentários da família sobre cada novo clipe e INÚMERAS situações nas quais Charlie Brown simplesmente ecoou em minha cabeça.

Já vi chamarem de “filosofia de rodoviária”, mas ela me ensinou muito, se querem saber. E ainda há quem chame de doido, de vagabundo, mas não é assim que tudo deve ser. Ignorante, explosivo, desrespeitoso... Sinceramente? Que se exploda essa droga de sociedade!

Não há ídolo que seja proibido pra mim. Ídolo não é perfeito. Ídolo erra, faz besteira, resgata suas forças e rompe a sombra da própria loucura. Sim, porque sua mente de fato era nem sempre tão lúcida, mas nunca lhe faltou voz. E se às vezes estava errado, é porque ninguém tinha que perdoá-lo. Não que não merecesse...

Fez suas escolhas sabendo que eram renúncias. Fez um pouco do que devia e muito do que quis. Já disse que não era perfeito, mas era especial! A luta, a força, a vontade, a personalidade, a voz, o grito, a personalidade de novo. Um olhar que vinha triste, machucado, irritado, vermelho, mas acima de tudo iluminado. Um olhar que trazia não só pessoa, mas espírito.

Se em toda a nova geração houver meia dúzia de crianças com esse olhar, estarei satisfeito. Se não, ao menos sei que, se for pra falar de algo bom, isso não me podem tirar: as coisas boas que fez para quem amava, para os fãs.

Chorão já não pode viver, mas vai ficar. E que choremos, mas só por uma noite, porque amanhã seu legado deixará tudo estar como ele está: em paz.

Como se o silêncio dissesse tudo.



(Dezesseis músicas da banda Charlie Brown Jr. foram citadas ou parafraseadas nesse texto.)

*João de Oliveira é estudante de jornalismo e colaborou com este post para o Play This Beat.

2 comentários:

  1. eliane de oliveira rangel7 de março de 2013 22:04

    texto perfeito!

    ResponderExcluir
  2. Perfeitoooo parabens e estou divulgando no meu face o seu texto.....

    ResponderExcluir