terça-feira, 5 de março de 2013

Feitos de silêncio e som

"Tudo o que cala, fala..."*
 Carolina Rodrigues
 
A vida se resume a momentos de silêncio e a momentos de som. Não existe outra opção. Ou conversamos ou estamos calados. Ou relaxamos escutando música ou relaxamos em um quarto escuro, trancado e completamente quieto. Ou cantarolamos no chuveiro ou buscamos um momento de paz ao som de, no máximo, algumas gotas de água caindo no chão.

O barulho do dia-a-dia, das ruas, dos carros, das obras e das portas se contrapõe ao silêncio do campo, das chácaras e hotéis fazendas que tanto buscamos nas férias. Mas pode ser que, algumas vezes, o silêncio perturbe mais que o som. Como quando perguntamos e não obtemos resposta. Ou quando ligamos o ventilador só para dormirmos ao som do vento. E pode ser também que o silêncio valha mais do que mil palavras, em certos casos. Por que não? Ambos, silêncio e som, se encaixam aqui e ali, sempre.

Se estamos em silêncio, buscamos o som. Se estamos escutando, buscamos o silêncio. É o que nos mantém vivos, não é? Um vai e vem de sons e silêncios que nos faz buscar o que queremos. Nos faz ter planos. Se fico o dia todo trabalhando, planejo paz sonora no fim do dia para espantar o cansaço. Se fico o domingo todo sozinho, descansando, busco uma boa conversa na segundona para espantar a deprê. É natural.

Já diria Lulu Santos, “somos feitos de silêncio e som”. Nada mais sábio. “Não existiria o som se não houvesse o silêncio”. Nada mais óbvio, não? É o que nos traz ritmo de vida. É como amar calado, “como quem houve uma sinfonia”. E no fim percebermos que tem certas coisas que não sabemos dizer. E é pra isso que existe o silêncio. Assim como, em momentos inadequados de silêncio, sabemos exatamente o que dizer. “A vida é mesmo assim”.
 
*Post inspirado na música Certas Coisas, de Lulu Santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário