sexta-feira, 29 de março de 2013

Entre a viola e o banjo

Carolina Baldin Meira

A vida é repleta de histórias no estilo “parece-mas-não-é”. Um exemplo: aposto que você, assim como eu, em algum momento também pensou que macarrão era comida italiana, até alguém te contar que na verdade ele veio da China (recentemente teorias especulam se a massa seria árabe, olha a confusão). Dias atrás descobri um caso parecido ao pesquisar a origem do ukulele, que eu poderia jurar ser tão havaiano quanto o luau ou a dança Hula.

Para minha surpresa, o instrumento foi levado no século XIX ao Havaí por imigrantes portugueses da Ilha da Madeira. Eles navegaram até Honolulu para trabalhar no cultivo da cana-de-açúcar. Um deles, a fim de celebrar o fim da viagem de quatro meses, pegou uma espécie de cavaquinho português (braguinha) e começou tocar as modinhas, músicas típicas de sua terra natal.

De acordo com as histórias locais, esse cara era João Fernandes – que na época tinha 25 anos e os dedos mais rápidos que os nativos havaianos tinham visto até então. Por essa razão, o instrumento de quatro cordas foi apelidado de ukelele (e mais tarde ukulele), nome que pode ser traduzido do idioma havaino como “pulga saltitante”.

Não demorou para que a novidade se espalhasse na ilha: um jornal local, o Hawaiian Gazette relatou em 1879 que “um grupo de portugueses, composto por insulares da Madeira, chegou aqui recentemente e tem deliciado as pessoas com concertos noturnos pelas ruas. Os músicos são verdadeiros artistas com seus estranhos instrumentos, os quais são uma mistura entre viola e banjo, mas que produzem uma música muito doce nas mãos dos trovadores portugueses”.

A empatia dos havaianos pelo ukulele foi instantânea. O instrumento se incorporou à cultura local e hoje é peça importante em rituais como a dança Hula – tradicional performance que interpreta textos poéticos através de ritmos, cantos e movimentos.

No restante do mundo, ele também foi muito bem recebido. Em meados de 1920, ficou muito popular entre jovens músicos amadores, principalmente por ser leve e portátil. Por um período, o interesse pelo ukulele se manteve baixo, até o surgimento nos anos 80 do conjunto Ukulele Orchestra Of Great Britain, que fazia versões de músicas pop. 

Desde então, alguns músicos da atualidade se apropriaram do instrumento e o trouxeram de volta à popularidade, entre eles o já falecido beatle George Harrison, Eddie Vedder (vocalista e guitarrista do Pearl Jam), o havaino Jack Johnson, os californianos do Train, a banda folk Beirut e outros.

Aproveite o feriado e relaxe ao som do ukulele:

Nenhum comentário:

Postar um comentário