sábado, 12 de janeiro de 2013

Summertime Sadness



Vanessa Souza

Finalmente chegou o verão, o sábado das estações. Todo mundo resolve que ir para a praia é uma boa ideia, ignorando o fato de que esta é uma época inevitavelmente chuvosa e cheia de gente. O trânsito irrita e o céu nublado também, sem contar a falta de lugar para colocar um guarda-sol e umas cadeiras para ver o mar. E as crianças jogando areia para cima e ela grudando toda no seu corpo melecado de protetor solar... maior programa, hein?

Mas, se você decidir não descer a serra, está fadado a horas de ventilador ligado na cara com direito a suar mesmo assim e ter só internet para te distrair (já que todos os seus amiguinhos estão passando pelo sufoco descrito no parágrafo acima enquanto você mofa na cidade). O que? Ler um livro? Claro que você pode, mas eu não. Ninguém me avisa que o final é triste e eu passo uma noite inteira chorando por causa do personagem que morreu. Não, não sei lidar.

Tá, desculpa, mas eu não vejo graça no verão. Não adianta, nunca vi. Além disso, o verão é uma das zicas da minha vida (ao lado de não poder confirmar presença nos eventos postados no Facebook pelo fato de que, quando faço isso, sempre acabo não podendo ir – e já consegui até cancelar o rolê, é sério). Chega dezembro, não dá outra: tudo desanda. E vocês esotéricos nem me venham com essa história de ‘inferno astral’ porque eu sei que ele acontece um mês antes do aniversário da pessoa e eu só vou fazer 22 em julho. E Junho é um lindo, deixem ele em paz. Se for para reclamar, conversem com Maio. E com Dezembro.

E depois de Dezembro, Janeiro. Outro enjoado. Qualquer coisinha, começa a chorar em cima da gente (tá pior que eu, credo). Um mês mimado e que não fica satisfeito com nada. E, ainda por cima, desconta tudo nos outros. Às vezes sinto que tenho exclusividade na hora em que ele escolhe a sua vítima, mas vai saber. Tomara que seja só impressão.

E, olha, não sou só eu que tem problemas com essa estação. Muito artista por aí já usou a deixa que o verão nos dá por ser a suposta ‘época feliz’ para compor músicas que não concordam muito com isso. Stevie Wonder deve estar desde 1971, quando lançou Never Dreamed You'd Leave in Summer, até hoje inconformado por ter sido deixado pela amada em pleno verão.

Já a cantora italiana Nina Zilli disfarça o medinho que ela sente da estação com a melodia animada de Un’altra Estate, mas ela confessa que, na verdade, não sabe se ri ou se chora. É, nem eu. Mas tem gente – como a Gwen Stefani em sua época de No Doubt e a belga Selah Sue – que parece estar à beira de lágrimas. Tem também a Lana Del Rey, sempre fazendo drama por alguma coisa, dizendo que sente ‘uma tristeza de verão’. E a India.Arie... se bem que ela ficou desanimada por causa do fim da estação, mas tanto faz, ela merece ser citada aqui.

Ouça as criações inspiradas por essa época traiçoeira:

Nenhum comentário:

Postar um comentário