segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Jamaica Brasileira


Para mais informações sobre a história do reggae no mundo, clique aqui
 
Carolina Rodrigues

Bob Marley e Chico Buarque após partida de
futebol no Brasil
Foto: culturabrasil.com.br
Atualmente, o reggae está tão infiltrado em outros estilos musicais que fica difícil não reparar a típica batidinha lenta. No Brasil não seria diferente. Desde os anos 70, quando o reggae ganhou força mundial, os brasileiros incorporaram o estilo jamaicano em suas músicas e o misturaram com o rock, com o samba e até mesmo com a MPB, passando por algumas vozes já importantes no cenário musical brasileiro e por outras ainda pioneiras.
 
Daí por diante, o estilo disparou no Brasil. Em 1980, o rei do reggae Bob Marley fez uma visita ao nosso país e aproximou mais ainda os laços entre a música brasileira e a jamaicana.

Caetano Veloso, ícone da MPB, foi o responsável por fazer a primeira menção à palavra “reggae” no Brasil, em sua música Nine Out Of Ten, em 1971.

“Eu ando pela rua Portobello, ao som de reggae
Eu estou vivo”

Já em 1978, Gilberto Gil vendeu mais de 500 mil cópias de seu disco Realce, com a música Não Chore Mais, versão de No Woman No Cry, de Bob Marley. Devido a isso e a partir de então, Gilberto foi um dos principais cantores brasileiros que ajudou na propagação do reggae no Brasil.

Não Chore Mais by Gilberto Gil on Grooveshark

"Quando falo da minha relação com o reggae, digo sempre: o que mais me interessou foi a música. Sempre tentando deixar em segundo plano tanto a dimensão religiosa quanto a dimensão política".
Foto: Divulgação
Em 1981, Bob Marley morreu de câncer aos 36 anos. Mas, felizmente, sua música já havia cativado os brasileiros que insistiram na produção de mais e mais reggaes (até hoje!).

Na segunda metade da década de 80, Os Paralamas do Sucesso disparam e incorporam o reggae em algumas de suas músicas. O grande exemplo da influência jamaicana é o disco Cinema Mudo (1985).

Cinema Mudo by Paralamas do Sucesso on Grooveshark

“Eu tenho que aprender a dizer tudo que eu sinto por você
Eu tenho que aprender num desses seriados de TV”

Se vamos falar de reggae, não podemos deixar de falar de Cidade Negra. A própria definição da banda em seu site oficial já explica a ligação: “quando a Baixada Fluminense, famosa por sua pobreza e violência crescente, é lugar para se fazer reggae? Desde que lá surgiu um grupo chamado Cidade Negra, formado por fãs do consagrado ritmo jamaicano. Da Gama (guitarra), Bino (baixo), Lazão (bateria) e Ras Bernardo (voz) buscavam inspiração no seu tenso cotidiano para levantar a voz dos artistas de rua, de um povo sem chance de reivindicações. De alguma forma a baixada fluminense era um lugar tão ativo e tenso como as famosas quebradas de Kingston, a capital da Jamaica”.

É, a banda se consolidou nos anos 90 e desde então trouxe para o cenário musical brasileiros muitas e muitas músicas ao estilo reggae, sempre inspiradas, claro, no rei Bob. Para exemplificar, podemos ficar com Pensamento.
 
Pensamento by Cidade Negra on Grooveshark

“Pensamento é um momento
Que nos leva a emoção
Pensamento positivo
Que faz bem ao coração
O mal não, o mal não”
 
Hoje, ainda podemos citar várias outras bandas que sofreram influência do reggae e da cultura rastafári. Dentre elas, Planta e Raiz, Natiruts, Chimaruts, Armandinho. Como não posso falar de todas, fiz uma playlist pra vocês darem uma relaxada. É só apertar play!
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário