domingo, 27 de janeiro de 2013

A batida do coração

Julia Germano Travieso

O reggae é a reprodução do pulsar do coração em um instrumento, seja na guitarra ou nos tambores. É um canto divino, que se comunica com todos os indivíduos, completamente altruísta, que ajuda o próximo antes de ajudar a si mesmo. É uma mensagem de amor, de igualdade, de liberdade. O eu individual não existe, o conceito dominante é o do ‘I and I’: meu amor pela minha vida é tão grande quanto o que eu sinto pela sua, meu eu e o seu eu são os mesmos, portanto somos sempre ‘nós’, todos sempre iguais. 

Foi Jah quem disse, foi o Rei quem quis assim
Que eu não queira pra você o que eu também não quero pra mim
E até para os pobres hipócritas que não gostam de mim
Mas eu não quero pra vocês o que vocês querem pra mim
Amor, paz, sim
E que eu nunca queira pra você o que eu também não quero pra mim
É assim, tem que ser assim


O reggae decretou guerra à desigualdade, ao preconceito, à pobreza. É uma música da rua, foi criada, se desenvolveu e amadureceu na rua, reproduzindo as batidas de um coração diminuído, esquecido pelas autoridades, que brigam por seus interesses egoístas, deixando de lado quem eles julgam inferiores, sem importância. É uma mensagem de paz, mas é também um constante protesto contra a exploração de minorias desfavorecidas, e as armas são as músicas.

Until the philosophy which hold one race
Superior and another inferior
War by Bob Marley on Groovesharkis finally and permanently discredited 
and abandoned                                          
Everywhere is war, me say war.
That until there are no longer first class
and second class citizens af any nation
Until the color of a man's skin
is of no more significance than the color of his eyes
Me say war.

O reggae é poesia, é beleza, é união, é iluminação. Tanto a música quanto a maconha são instrumentos utilizados para alcançar um estado de espírito em que é possível meditar, com calma e paciência, para assim ter a sabedoria para resolver os problemas que aparecem. É um ritual sério. Ninguém está ali pela chapação, e quem não está preparado deve ficar longe.

O reggae é, acima de tudo, respeito, consigo mesmo, com o próximo, com a natureza, com as diferenças de ideais. Ele não quer arrecadar rebanhos para seguir uma ideologia, mas sim abrir a mente das pessoas. Assim, elas adquirem a liberdade e o conhecimento necessários para transformar a sua vida e a das pessoas ao redor. É um trabalho difícil e lento, mas a esperança de finalmente viver em um mundo diferente, no qual não haja preconceito ou separação de classes, é suficiente para acender os corações de alguns, e esses poucos nunca deixarão de lutar contra a corrupção.

One Drop by Gilberto Gil on Grooveshark
Oo-oo-ooh, yea-ah. Wo-yoy! Wo-yoy! Wo-yoy! Wo-yoy-yoy-yoy!
Feel it in the one drop;
And we'll still find time to rap;
We're makin' the one stop,
The generation gap;
Now feel this drumbeat
As it beats within,
Playin' a riddim,
Resisting against the system, ooh-wee!


Bob Marley foi responsável por difundir o Movimento Rastafári ao associá-lo
com sua música, e esse é o chamado reggae roots. É importante notar que o reggae
abrange também 
o dub, o dubstep, o sound system e o ska, entre outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário