quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Todo o brilho de uma estrela decadente

Isabela Romitelli

Me lembro bem do dia em que minha mãe, assistindo TV no quarto dela, deu um grito me chamando: “Filha, vem ver esse moço, vai adorar a música dele!”. Ela me conhece bem mesmo, e eu de cara me apaixonei pela voz suave e as músicas lindas de Thiago Pethit.

Foto: divulgação

Com seu timbre macio e suas letras recheadas de poesia, seja cantando em português, inglês ou francês, Pethit desponta como uma das promessas da música brasileira atual.

O destaque do primeiro álbum de Thiago, Berlim, Texas, foi a faixa Nightwalker, cuja coreografia do clipe estrelado por Alice Braga virou hype entre o público indie. Depois desse sucesso, o músico acaba de lançar Estrela Decadente, disponibilizando o download gratuito em seu site.


A primeira faixa de Estrela Decadente é o single previamente lançado Pas de Deux. O clipe da música, que tem uma pegada anos 20 e conta com participação de Laura Neiva e Alice Braga, já virou sucesso de internet. O refrão fácil fica na cabeça e eu várias vezes já me peguei cantando por aí: “Dançar com você, dançar com você, dançar com você, me basta só você querer”.

Logo em seguida vem Moon, primeira faixa do álbum em que o cantor mistura o português ao inglês nos versos. O ritmo mais rápido e um pouco mais rocker dá vontade de dançar balançando a cabeça.

Na sequência, Dandy Darling é a mais alegrinha do disco, fugindo do estilo melancólico que é marca de Pethit. Aqui, repete-se fórmula português+inglês com sucesso. No finzinho da música, quando você acha que ela já havia acabado, uma surpresa: num clima meio havaiano, ao som de passarinhos e do toque de um ukelele, Thiago canta o último verso, tornando quase que imperceptível a passagem para a próxima música, So Long, New Love.

Foto: Gianfranco Briceño
Totalmente escrita em inglês, a faixa tem a participação de um coro de segunda voz e é possível ouvir o toque de castanholas, marca da irreverência de Pethit.

A quinta faixa é a que dá título ao álbum, Estrela Decadente, e é uma das mais dançantes, com guitarras bem marcadas, um toque bem energético da bateria e mais uma letra bilíngue.

Em Haunted Love, o harmonioso coro de So Long, New Love retorna, completando a atmosfera super melancólica. Num clima mais sombrio, definido pela distorção do som da guitarra, vem em seguida Devil in Me.

Foto: Renata Chebel

Surabaya Johnny, única faixa do álbum que não é de autoria própria do cantor, é tema da peça-cabaret Happy End, lançada em 1929. A letra tem todo o clima dos anos 20 que combina perfeitamente com a voz de Thiago junto com a de Cida Moreira.

Fechando o disco, outra surpresa: a participação de Mallu Magalhães em Perto do Fim. E o que mais podia nascer do encontro dos dois se não uma faixa tristonha e melosinha?

As nove faixas do álbum são muito bem interligadas, tornando a transição entre elas muito difícil de se notar. E em cada uma, Pethit conseguiu deixar evidente sua marca, com todo o seu tom bucólico e um tanto quanto depressivo, fazendo, mais uma vez, um disco apaixonante e delicioso de ouvir.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário