domingo, 25 de março de 2012

Uma Noite de Amor e Música


Vanessa Souza

O Especial deste mês no blog volta a falar sobre filmes. Desta vez, em vez de apresentar musicais, resolvemos falar sobre trilhas sonoras. Logo que o tema foi decidido, um filme veio a minha cabeça instantaneamente: O Fabuloso Destino de Amélie Poulain. No entanto, sem saber, a Gabriela roubou a minha idéia. Tudo bem, eu tinha um plano B: Once. E lá foi a Mayara roubá-la sem querer também. E o meu post seria o próximo.

Por mais que eu goste de música e de cinema, devo confessar que trilha sonora não é uma coisa na qual eu presto muita atenção. Depois de perder meu filme preferido e, na seqüência, perder um dos únicos a ter músicas que realmente me chamaram a atenção, estava pronta para entrar em desespero. Pensei em Juno. Pensei em 500 Dias com Ela. Mas, no fim das contas, nada melhor que um filme que tem ‘trilha sonora’ (de certa forma) até no título: Nick and Norah’s Infinite Playlist – no Brasil batizado de Uma Noite de Amor e Música.

Cartaz do filme
Dirigido por Peter Sollet, o filme se passa todo em Nova York e, em sua maior parte, durante apenas uma noite. Depois de ser deixado por sua namorada, Nick (Michael Cera) continua a mandar para ela CDs gravados por ele com músicas escolhidas a dedo. Tris (Alexis Dziena), a menina que o dispensou, joga todos fora sem qualquer consideração. Norah (Kat Dennings) estuda com Tris e sempre pega os CDs descartados para ouvir, já que tem o mesmo gosto musical de Nick sem nem o conhecer. As duas não se dão muito bem, mas têm uma amiga em comum: Caroline (Ari Graynor).

Naquela noite, a banda do Nick ia se apresentar em um bar em Manhattan, onde as três garotas se encontraram. Depois de mentir a Tris que estava lá com seu namorado, Norah só tinha uma saída: pedir para qualquer estranho que a beijasse. Esse estranho era justamente Nick.

Enquanto isso, Caroline já estava muito bêbada. Norah queria levá-la para casa, mas sua banda favorita – Where’s Fluffy? – ia fazer um show secreto em algum lugar da cidade naquela noite. Entre procurar a apresentação e tentar ajudar a amiga alcoólatra, Nick e Norah acabam se conhecendo melhor.

A Playlist

A comédia romântica mantém a música em evidência a todo o tempo: desde a abertura do filme, em que aparecem escritos os nomes das bandas que fazem parte da trilha sonora, até o toque de celular do Nick – a clássica Boys Don’t Cry, do Cure. Outro momento marcante é a música que toca em uma estação de trem (Wannabe, das Spice Girls), a única hora em que o estilo musical do filme destoa do indie dominante. As bandas que tiveram suas canções no filme não são as mais famosas – alguns dos nomes mais conhecidos são Vampire Weekend, Band of Horses e We Are Scientists. Paul Tiernan e Chris Bell são outros artistas que estão na trilha.

Além das músicas, também há cenas curiosas nesse filme. Um dos destaques é Caroline conversando com um estranho na estação, cena totalmente improvisada pela Ari Graynor. Vale a pena prestar atenção também no caminho que o chiclete dela faz pelo longa.

Deixo vocês com a minha música preferida do filme: Riot Radio, da banda The Dead 60's.

Riot Radio by The Dead 60s on Grooveshark

Nenhum comentário:

Postar um comentário