terça-feira, 27 de março de 2012

Quando cai o pano e o pano cai

Mayara Abreu Mendes

Coxias, roteiros, maquiagens, figurinos, ensaios, cenas, elenco, cenários, palcos, luzes, público. Muito esforço, muito trabalho e é chegada a noite da estréia. Já me desejaram merda, que eu quebre a perna e boa sorte em sua forma comum. Mas nada que digam, desejem ou pensem me acalmará. Primeira vez com a peça no palco é como se fosse a primeira vez em qualquer palco. Esse frio na barriga, essa ansiedade, esse medo de errar as falas ou de cair no meio de uma cena...

***

Picadeiros, animais, argolas, panos, cartolas, maquiagens, malabares, cenas, bicicletas, figurinos, luzes, respeitável público. Todo começo de nova temporada é uma loucura só. Viagens pelo país, viver num trailer por meses e meses e, durante os finais de semana e algumas poucas noites de quinta e sexta-feira, as apresentações. Cada vez que ouço que a diversão está para começar, meu coração acelera e sinto o sangue correndo bem mais depressa que o normal pelas minhas veias. Hoje é um desses dias.

***

O público que lota o teatro naquela noite é completamente diferente daquele que lota o circo. Porém todos estão ali para ver a arte tomando forma, vida e cor em suas frentes. A criancinha ansiosa pelos palhaços, a menina que quer ver a comédia para rir e esquecer de seus problemas, o homem solitário com seu chapéu, o casal que acabou de começar o namoro, as famílias, os amigos.

Todos estão naqueles dois ambientes esperando a grande hora em que a mágica vai começar. O friozinho na barriga não é característica comum apenas aos que estão por trás dos panos e cortinas, mas também àqueles que estão sentados em suas cadeiras nas arquibancadas ou no palanque, loucos para bater palmas, chorar de tanto rir, rir de tanto chorar... As emoções no picadeiro e no teatro são praticamente as mesmas.

Será que aquele menino tímido vai abrir um sorriso quando o palhaço cair num balde d'água? E aquela mulher estressada? Será que vai sorrir quando o mocinho atrapalhado resolver falar com a menina alternativa? Os velhinhos com toda certeza ficarão fascinados com a equlibrista cheia de charme e com os animais selvagens bem adestrados. Aposto também que até a adolescente meio tímida vai repensar se deve continuar assim quando ver o final da peça. 

Previsões, expectativas, muita ansiedade. Agora silêncio: os espetáculos já começaram.



Texto em homenagem ao dia mundial do teatro e ao dia do circo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário