sexta-feira, 30 de março de 2012

Musicólatras

Carolina Rodrigues


Música é o espelho dos sentimentos. O transparecer do espírito. O estímulo para lágrimas. 
Ou para o movimento ritmado dos pés. É o reflexo das almas. 

É o resumo de momentos. De alegria. De decepção. 
Parece ter sido feita só para mim. Ou só para você. Ou para nós dois, então. 

Música é noite. É dia e dia-a-dia.
É melodia. 
Palco da criatividade, 
mentira ou verdade. 
É calor, frio, chuva e tempestade. 

É tom e dom. É um barulho aqui e outro ali. 
Eterna procura de um bom som.

Música é trabalho e passa-tempo, 
calmaria e tormento, 
assovio e instrumento. 
Faz sorrir, faz chorar, 
faz sentir, faz dançar, 
refletir e relaxar. 

Está entre o beijo e o abraço. Entre a fala e o canto. 
Entre o normal e o espanto. 

Música é dó, re, mi, fá, sol, lá, si e dó. 
É acórdão que se completa por si só. 

Pode se expressar no soprar do vento, nos carros pelas ruas, 
no ranger de uma porta ou na simples corda de um violão. 
Tudo é canção. 

Música é música, simplesmente. 
Só entende, realmente, quem sente. 
É pura poesia. 
É rima, timbre e harmonia. 

Portanto, não se esqueça: 
não importa o que aconteça, 
nós somos eternos dependentes 
de um barulho insistente 
que insiste em ficar na cabeça,
infinitamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário