terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Vinte e nove anos vermelhos e picantes

Uma homenagem às três décadas de Red Hot Chili Peppers

Marina Rosanese

Foto: Divulgação
Treze de fevereiro de 1983. O vocal de Anthony Kiedis, o baixo de Michael "Flea" Balzary, a guitarra de Hillel Slovak (hoje ex-integrante), e a bateria de Jack Irons (também ex-integrante) se reuniam pela primeira vez para fazer um som. Um som que misturava elementos do funk, do punk e do rock psicodélico dos anos 60/70. Som que, a princípio, seria só uma brincadeira entre jovens de vinte anos. No entanto, o passar dos ensaios fez com que eles gostassem do resultado e começassem a fazer shows. Sorte a nossa. 

Apesar de estarem na formação original da banda, Slovak e Irons não participaram do álbum de estreia. O baterista dos dois primeiros álbuns, que substituiu Irons, foi Cliff Martinez, e o guitarrista que substituiu Slovak foi Jack Sherman, o qual só participou do primeiro álbum de estúdio.  D.H. Peligro ficou por um tempo na banda até que o baterista permanente, Chad Smith, se juntasse ao grupo.  

John Frusciante substituiu Slovak, o qual morreu de uma overdose de heroína em 1988. Essa formação também temporária originou o quarto álbum de estúdio do RHCP: Mother's Milk. Deste álbum, destaco a música Fire: uma versão daquela composta por Jimi Hendrix.

Fire by Red Hot Chili Peppers on Grooveshark

Oito de julho de 1999. O guitarrista John Frusciante havia retornado à banda para substituir Dave Navarro. Essa substituição gerou uma grande mudança no estilo musical que até então estava sendo produzido pelo conjunto com a influência de Navarro. Dessa mudança nasce o álbum que marcou a carreira do Red Hot após vender mais de 16 milhões de cópias: Californication

Com letras que abordavam sexo, drogas, suicídio e globalização, o álbum mais bem-sucedido da banda rendeu a ela alguns de seus principais sucessos, um Grammy e a terceira posição da Billboard 200 nos Estados Unidos. Deste álbum, destaco sua faixa título - Californication. Assista à performance tão comentada da banda no Rock In Rio 2011. 



Ainda com a formação de quando Californication foi gravado, o oitavo álbum de RHCP, lançado em 2002, trazia novos elementos às canções. Me refiro a By The Way, e a principal mudança é a introdução de algumas músicas funk. As únicas que não tinham tal influência foram Can't Stop e a canção que dá título ao disco. O álbum também apresenta vários traços de romantismo. By The Way é uma das várias canções que Anthony Kiedis compôs inpirado em sua namorada. 

By The Way by Red Hot Chili Peppers on Grooveshark

Em 2006, a banda lança o álbum Stadium Arcadium, que atingiu, na primeira semana, o primeiro lugar na Billboard 200. Os destaques são as músicas Dani California, Tell Me Baby e Snow ((Hey Oh)). No início de 2007, Stadium Arcadium foi indicado a sete categorias da 49ª edição do Grammy. Das categorias  em que a banda concorreu, o álbum foi vencedor em quatro: "Melhor Performance de Rock em Dupla ou Grupo" (Dani California), "Melhor Música Rock" (Dani California), "Melhor Álbum de Rock" (Stadium Arcadium), "Melhor Disco em Edição Especial (Box)" (Stadium Arcadium). 

Deixo aqui o clipe de Dani California, onde o Red Hot homenageou bandas como Sex Pistols, Nirvana e Beatles. 



Vinte de maio de 2008. Anthony Kiedis anuncia em entrevista à Rollin Stone que, devido ao desgaste após seis anos de trabalho sem interrupções desde Californication, o Red Hot Chili Peppers daria uma pausa. Kiedis também explica que ele estava preocupado em cuidar de seu novo filho, Flea estava experimentando novas idéias musicais, Frusciante estava empenhado em sua carreira solo e Chad Smith tinha vários projetos com sua nova 'superbanda'. O hiato duraria no mínimo um ano.

Felizmente, no dia 29 de janeiro de 2010 (quase dois anos após a banda anunciar o hiato), Red Hot fez seu retorno ao vivo. Desta vez, o guitarrista Josh Klinghoffer entrou em definitivo para substituir Frusciante, como anunciado oficialmente por Chad Smith. Com a nova formação, a banda lançou, em agosto do ano passado, seu décimo álbum: I'm with You. O baterista Chad Smith afirma que o RHCP tem o mesmo nome mas é uma nova banda. 
Foto: Divulgação
Seja a mesma banda de trinta anos atrás ou uma banda totalmente diferente, o Red Hot Chili Peppers certamente marcou a história do rock das últimas décadas. Em um período onde o grunge tomava forma e controlava os anos 90, o rock com traços funk e psicodélicos de RHCP se destacou, revivendo a música das décadas de 1960 e 1970. Dou meus parabéns à banda pelos 29 anos de carreira e espero que venham por aí mais anos, mais álbuns e mais shows no Brasil. 

Para finalizar a homenagem, ouça a música The Adventures of Raindance Maggie, o primeiro single do novo CD, lançado nas rádios em julho do ano passado.

The Adventures of raindance maggie by Red Hot Chilli Peppers on Grooveshark

Nenhum comentário:

Postar um comentário