domingo, 26 de fevereiro de 2012

Entre os sambas no Bexiga

Marina Rosanese

O ano era 1910. Nascia, em uma pequena cidade do interior de São Paulo, o compositor, cantor, humorista e ator que daria projeção ao samba paulista. O nome era João Rubinato - nosso eterno Adoniran Barbosa.

Filho de imigrantes italianos e com sete irmãos, Adoniran mudou seu ano de nascimento na certidão para que pudesse trabalhar legalmente, uma vez que a idade mínima era doze anos. Devido aos problemas financeiros, o sambista e sua família mudavam constantemente de cidade. Com o sonho de ser artista, sofreu diversas vezes a decepção de ver seu talento rejeitado.
Foto: Divulgação

Escolheu, em primeiro lugar, a carreira de ator. Busca seu lugar nos palcos. Sem a instrução adequada, uma vez que abandonou a escola muito cedo, era sempre impossibilitado de alcançar os teatros. No entanto, Adoniran percebia o impacto que as rádios exerciam na sociedade brasileira, principalmente nos anos 20 e 30, a época de ouro daquele veículo de informação. 

Decidiu popularizar seu nome por meio da música. Logo pensou em se dedicar à composição, mas sabia que, naquele momento, os compositores eram instrumentos dos cantores que, com a parceria, conquistavam a fama. Dessa forma, decide ser intérprete. 

Pegou emprestado o "Adoniran Barbosa" de seu amigo e cantor de sambas, Luiz Barbosa. Já com o novo nome, teve sua estreia interpretando um samba brejeiro de Ismael Silva e Nilton Bastos: Se Você Jurar. Ouça a canção na voz da cantora e compositora Beth Carvalho.

Se Voce Jurar by Beth Carvalho on Grooveshark

O resultado não é muito positivo, mas Adoniran retorna ao programa. Desta vez escolhe interpretar uma canção que lhe abre portas nas rádios do país. Cantando os versos de Noel Rosa e afirmando que vivia escravo de seu samba nada, nada vagabundo, o sambista viu em Filosofia uma oportunidade de entrar, de vez, no mundo da música.

02 filosofia by Adoniran Barbosa on Grooveshark

Já com seu espaço conquistado nas rádios e entre interpretações de outros compositores, Adoniran se entrega ao papel de ator radiofônico, criando diversos personagens tipicamente populares e alcançando certo sucesso. 

No entanto, seu talento como compositor insiste em querer se mostrar. É a partir de suas participações em diversos programas de rádio que ele soma experiências, mergulha na linguagem e fala paulistana, e encontra sua identidade como sambista.

Utiliza-se da linguagem popular de São Paulo e do resto do país e retrata não somente essa linguagem, mas as classes que a utilizam. Seu humor e seu samba descrevem o homem pobre da favela, a mulher submissa, e os socialmente excluídos. Dessa linguagem nasce a música que o consagrou. Nasce o Trem das Onze

Trem Das Onze by Adoniran Barbosa on Grooveshark

Adoniran gravou esta canção em 1951, embora ela tenha sido amplamente popularizada após a versão do grupo Demônios da Garoa, de São Paulo. Embora o grupo seja paulista, a versão é primeiramente difundida no Rio de Janeiro. 

Foto: Divulgação
Grande frequentador das noites paulistanas, Adoniran casou-se duas vezes. O primeiro casamento durou menos de um ano, mas o segundo a vida toda. Adoniran encontrou em Matilde alguém que aceitava seu jeito boêmio de ser. Vivia para a rádio, para o samba e para ela. Foi após uma briga do casal, inclusive, que ele escreveu Joga a Chave, onde fala sobre seu hábito de chegar tarde em casa. 

O enfisema avançado em seus últimos anos de vida o impossibilita de manter seu hábito de sair à noite. A dificuldade em respirar e o cansaço o impedem de continuar gravando e interpretando, até que o sambista falece em 1982, aos 72 anos. 

Com seu humor, ironia e talento nato, João Rubinato fez muito para a música popular brasileira, abrindo um espaço para o paulistano nas rodas de samba. Como uma última homenagem ao compositor, assista ao vídeo em que ele canta algumas de suas canções com outra grande intérprete brasileira - Elis Regina. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário