terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Imperfeição harmônica de Asa

Amanda Lima

Beautiful Imperfection
(Foto: Jean Baptiste Mondino)
Beautiful Imperfection (2010) é o nome do segundo álbum de estúdio de Asa, cantora francesa que já conquistou reconhecimento mundial. Suas canções unem as sonoridades do soul e do blues, os compassos dançantes do pop e ainda baixos típicos do reggae. Nascida em Paris, mudou-se aos dois anos para a África, onde foi erradicada.

Os primeiros contatos de Asa com a música aconteceram em Lagos, uma cidade ao sudoeste da Nigéria. Os clássicos do soul e a música nigeriana encontraram os ouvidos da jovem por meio da grande coleção de discos de seu pai. A inspiração que a levaria a compor suas próprias canções partiu de artistas como Fela Kuti – nigeriano precursor do afrobeat –, Bob Marley e Marvin Gaye – o principal nome da gravadora Motown em meados de 1960.

Porém, foi de volta à cidade luz que a cantora realmente construiu seu perfil musical. Lá, ela estudou música e passou a ouvir canções de outros artistas contemporâneos. Dentre eles, Erykah Badu, D’Angelo, Lauryn Hill e Angélique Kidjo.

O primeiro disco da cantora, Asa (Asha), foi lançado em 2007. Se no álbum de estreia suas preocupações se restringiam a assuntos sociais e políticos, em Beautiful Imperfection o teor das composições é mais descontraído. Segundo a própria cantora, em seu site oficial, a intenção do segundo trabalho era “criar algo que fizesse as pessoas se sentirem elevadas.”

(Foto: Divulgação/Jean Baptiste Mondino)

O que se pode notar na sonoridade do disco é a singularidade de cada faixa, além de uma pureza e simplicidade que são, sem dúvida, encantadoras. Em The Way I Feel, por exemplo, estalos e o fundo instrumental impecável evidenciam a voz rouca e característica de Asa.

Um toque essencial à unicidade da artista é a alternância de faixas em inglês e iorubá, língua falada não só na Nigéria, mas também em Benin, Togo e Serra Leoa. O idioma africano, somado à percussão, são destacáveis em Oré.

A abrangência de Asa está em passar de uma faixa com elementos do pop, em iorubá, como Broda Olé, para Questions, que fecha o disco com notas doces de piano.

Assista ao clipe de Be My Man, primeiro single do disco. Além de bem coreografado, a fotografia é sem igual. Cenário, figurino e ambiente clássicos da década de 1960.



Beautiful Imperfection pode ser ouvido na íntegra pela internet.


Nenhum comentário:

Postar um comentário