sábado, 8 de outubro de 2011

O melhor do ABBA em forma de musical

Músicas contagiantes, humor e boa escolha de elenco: a receita de Mamma Mia!

Marina Rosanese

Capaz de mostrar o melhor do cenário musical proveniente das discotecas dos anos 70 e 80 em uma narrativa atual e extremamente doce. É minha definição de Mamma Mia!. O filme de 2008, baseado no musical da Broadway de 1999, se trata de uma história contada apenas por músicas do ABBA. Graças à diretora do filme e da peça, Phyllida Lloyd, e à criadora do musical, Catherine Johnson, várias das músicas mais famosas da banda sueca se encaixam perfeita e inteligentemente em uma história só.

A narrativa

O musical conta a história de Sophie (no filme, representada pela loira, linda e fofa, Amanda Seyfried), que foi apenas criada pela sua mãe Donna (maravilhosamente interpretada por, nada mais nada menos, que Meryl Streep), sem nunca ter descoberto quem é seu pai. No entanto, após encontrar um antigo diário que sua mãe manteve na juventude, Sophie conclui que existem três homens com quem Donna se relacionou e um deles pode ser seu pai biológico.

(Fonte: Divulgação)
Sophie quer conhecer os três “possíveis pais” (no filme, os grandes Pierce Brosnan, ColinFirth e Stellan Skarsgård) antes de se casar com seu noivo Sky (Dominic Cooper). Para isso, ela convida os três para seu casamento, e é assim que se desenvolve a história.

A grande revelação musical do filme foi a atriz Amanda Seyfried. A diretora Phyllida Lloyd conta que, durante a seleção do elenco, todos os candidatos tiveram que cantar, e Amanda fez com que todos se apaixonassem. Ao cantar Gimme! Gimme! Gimme! com seus agudos incríveis e seus vibratos discretos e naturais, a atriz que interpreta Sophie encantou à produção toda e foi escolhida sem que ninguém hesitasse. Outra música que a atriz interpretou maravilhosamente bem foi Thank You For The Music. Ouça aqui:




O melhor dos anos 70 para duas gerações

Eu nunca fui nenhuma fã de ABBA, mas confesso que após o filme eu me apaixonei pelas músicas. Creio que meu caso não foi exclusivo. O filme tem essa capacidade de encantar aqueles que viveram sua juventude no fim da década de 1970 e início de 1980, fazendo-os relembrar essa época com as músicas presentes na história. No entanto, o musical também consegue atrair novos fãs para a música animada do ABBA.

Ainda que seja uma banda pop, devo dizer, como grande apreciadora de vocais complexos, que os do ABBA são incríveis. Os quatro integrantes da banda fazem duetos maravilhosos e usam técnicas de voz bem difíceis de praticar. E vale lembrar que na época do ABBA ainda não existia o Auto-Tune.
Cena em que Donna ajuda sua filha Sophie
a se arrumar para o casamento.
(Fonte: Divulgação)

O filme ainda conta com muito humor, fazendo com que qualquer tipo de pessoa ria em mais de uma cena. Além disso, a história se passa em uma ilha na Grécia, portanto mostra paisagens incríveis, e como um bom musical que é, traz grandes performances e coreografias, deixando o cenário ainda mais interessante.

É um filme que vale a pena assistir, tanto sozinho, para dar umas risadas e conhecer um pouco de uma banda pop de qualidade, ou para assistir com seus pais e vê-los se encantarem ao ouvir músicas de sua juventude com ótimos novos arranjos. De qualquer forma, eu recomendo.

Para começar, confira abaixo a cena do filme em que Meryl Streep interpreta Money, Money, Money:

Um comentário:

  1. sempre fui fã de ABBA e o filme só fez concretizar. (: parabéns pelo texto!

    ResponderExcluir