sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Liberdade artística

Vanessa Souza

É comum ver artistas dizendo que gostam de cantar ou tocar algum instrumento desde muito pequenos. É normal vê-los falando que começaram a se envolver com música desde os cinco, seis anos de idade por causa de pais ou parentes. É tão usual ouvir histórias assim que pode ser até chocante quando algum cantor diz que só foi descobrir seu talento depois dos vinte anos de idade. E foi exatamente isso que aconteceu com Ana Cañas.

(Foto: Divulgação)
A cantora, na verdade, começou a fazer teatro ainda muito jovem e acabou tomando tanto gosto pela atuação que resolveu fazer faculdade de Artes Cênicas. Foi aí que ela entrou em contato com a música: ao fazer um teste para um musical, conheceu uma canção da cantora de jazz Ella Fitzgerald. Ana diz que, ao ouvir a americana cantar, ela ficou assustada e se perguntou, “O que esta mulher está fazendo?”.

Depois disso, não teve volta: Ana começou a cantar jazz na noite paulistana e, a certo ponto, teve vontade de consolidar sua carreira. De que maneira fazer isso? A resposta que ela achou foi gravar um disco.

Amor e Caos foi lançado em 2007, fruto de algumas parcerias com Fabá Jimenez, instrumentista e arranjador, e algumas regravações. Produzido por Alexandre Fontanetti, o álbum tem claras influências de jazz e MPB, tanto que Ana foi indicada como a grande promessa da música popular brasileira por muitos críticos.

Em 2009 chegou às lojas o segundo disco da cantora, Hein?, que deixou bem claro que Ana não pode ser simplesmente rotulada ‘disso’ ou ‘daquilo’. No álbum produzido por Liminha, a cantora acrescentou à sua sonoridade o rock e o reggae, além de contar com a parceria de Arnaldo Antunes em cinco das 12 canções que compõem o disco.

Além de críticos e fãs, quem também se encantou por Ana foi Nando Reis, que a chamou para fazer uma participação em seu álbum de 2009, Drês. A canção Pra Você Guardei o Amor foi tema de novela e tocou nas rádios de todo o país. Em 2010, a cantora lançou a música Luz Antiga, composição de Nando.

Recentemente, a artista disponibilizou um novo clipe na internet. Talvez você pense que, depois de caminhar por vários estilos musicais, o que vier agora será ‘mais do mesmo’. No entanto, Ana só reforça sua liberdade artística ao lançar uma canção em francês, chamada L’amour. O clipe, todo em preto e branco, pode ser assistido na página oficial da cantora ou, para facilitar a sua vida, logo aí embaixo.

Um comentário:

  1. Ana Cañas é talvez a cantora mais pura na aura musical. É daquelas vozes que você ouve e parece que não quer que ela saia mais da sua cabeça.

    Sério, curti muito o post =)

    ResponderExcluir