quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Você gosta de couve?

Conheça o projeto de covers da banda Móveis Coloniais de Acaju

Carolina Baldin Meira


Dez integrantes, dez cabeças criativas, dez gostos musicais diferentes. Foi a partir da mistura desses elementos que a banda Móveis Coloniais de Acaju criou em 2010 o projeto Adoro Couve. Com um nome irreverente e original, o Adoro Couve faz um trocadilho com as palavras 'o que ouve' e o vegetal 'couve', já que a proposta se baseia em regravar algumas das músicas que cada membro da banda gosta de ouvir.

Em texto para site oficial do grupo, o baterista Gabriel Coaracy conta que a pretensão nunca foi fazer os melhores ou mais inovadores covers da história. O objetivo da banda era “exercitar a criatividade, agilidade e processo produtivo, tanto de composição quanto de gravação e organização interna. O resultado é uma música e seu vídeo gravado por mês”, explica Coaracy.

A partir da escolha da música, o processo dura aproximadamente uma semana – a banda ensaia umas quatro vezes, e, na quinta vez, já realiza a gravação. O tempo para edição do áudio e das imagens é de quase dois dias.

Créditos: www.moveiscoloniaisdeacaju.com.br
De maneira bem eclética, o Móveis conciliou a escolha do repertório ao gosto musical de cada membro e, ao mesmo tempo, homenageou artistas que são de grande influência para a banda. Os músicos tentaram também unir a temática de algumas canções ao momento do ano em que a lançaram – a exemplo do 'cover' de uma música deles mesmos, a Adeus De Carnaval ou a Replay, divulgada na Copa de 2010.

Além destas duas músicas, foram feitos mais covers, como: Psycho Killer (sucesso de 1987 da banda Talking Heads), Eu Me Amo (hit do Ultraje ao Rigor em 84), Enter Sandman , do Metallica, Do You Realize (da banda de rock psicodélico e alternativo The Flaming Lips), Everybody, dos Backstreet Boys e Alegria (composição do grande sambista Cartola).

Deixo vocês com o meu cover favorito - A Menina Dança, clássico contagiante dos Novos Baianos. Detalhe para outra homenagem no divertido vídeo: os azulejos fazem referência a Athos Bulcão, importante artista de Brasília, cidade de origem do Móveis Coloniais de Acaju.

    

Nenhum comentário:

Postar um comentário