segunda-feira, 26 de setembro de 2011

A história da música na vida de Dandara Modesto

“Eu gosto de mudar o arranjo, mudar o entendimento 
da música, que é o barato de interpretar.” 


Julia Germano Travieso 

Desde criança Dandara era
apaixonada por música.
Foto: Arquivo Pessoal
Nascida em uma família muito musical, Dandara Modesto cresceu ouvindo Francisco Alves, Silvio Caldas, Gal Costa, Chico Buarque, Caetano Veloso, Marina e Marisa Monte, entre vários outros. O pai, Eufra Modesto, tem uma academia de capoeira, por isso cenário musical baiano também esteve muito presente. Desde criança gostava de cantar. Qualquer festa infantil, batizado ou casamento era uma oportunidade para que pudesse exibir seu talento. Ela diz que houve sempre muito incentivo, mas nunca pressão. 

Desde os quatro anos a cantora já acompanhava o pai em seus ensaios com o Coral da Unifesp e aprendeu muito só de observar as aulas de técnica vocal. Com o tempo foi evoluindo, pegando gosto por cantar e, mais tarde, por tocar, “foi uma coisa completamente natural.” Aos dez anos fez sua primeira apresentação para um público de 500 pessoas em um evento ecológico na Ilha de Bororé, organizado por um amigo de seu pai: “Acabei indo lá e fiz a parada, foi aí que eu descobri que achava legal o palco”. 

Com doze anos estava cantando bastante, era convidada para vários congressos e começou a fazer aulas de canto para aperfeiçoar sua técnica vocal. Montou uma banda e começou a cantar profissionalmente com quinze anos. Desde então vem se apresentando em vários bares de São Paulo e festivais de música. 

Com uma voz inconfundível Dandara vem conquistando
espaço no cenário musical brasileiro.
Foto: myspace.com/dandara
Em 2010 conquistou o primeiro lugar no 36° Festival de Música de Ilha Solteira pela música Pirataria, composta em uma parceria com sua mãe, Ieda Varejão. Com apenas doze anos de idade Dandara compôs a melodia, gravou numa 'fitinha' e guardou numa gaveta. “Minha mãe me escutou compondo, foi na gaveta, pegou, escreveu a letra e me entregou a canção pronta. Foi minha única composição durante um bom tempo, me considero uma intérprete, gosto de interpretar as canções dos outros.”. 

Sobre ganhar o prêmio, Dandara ri e diz: “Era um festival muito grande, eu não fazia ideia de que pudesse ganhar. Fui lá super despretensiosa e acabei ganhando. Foi quando me liguei e pensei: acho que talvez eu não componho tão mal assim. Meu barato ainda é interpretar a canção dos outros, mas já tenho mais de uma música.”. O próximo lançamento é Esfinge, composta em parceria com Jessé Santo e deve estar no MySpace da cantora em breve. 

Essas duas músicas serão parte de um álbum que promete ser lançado no ano que vem. “O disco está na pré-produção, estamos fazendo na raça, investindo do bolso, completamente independente. Temos uma parceria com o estúdio Na Cena, mas é só. A gente espera que até o fim do ano apareça um patrocinador”. 

Para ela “o lance mesmo é divulgar na internet. Para artistas independentes que estão batalhando espaço, essas novas mídias são muito importantes. É um lugar sem barreiras, você coloca a música em qualquer plataforma de divulgação, seja ela MySpace, Soundcloud, e a sua música está no mundo. Já recebi vários comentários de pessoas que estão fora do Brasil, retorno super bacana de gente do Pará, de Pernambuco, Mato Grosso. Com a internet você acaba chegando a lugares que não chegaria de outra maneira. É um lugar legal para fazer novas parcerias, conhecer outros artistas”. 


A cantora tem influências muito variadas, ouve vários estilos, mas, na hora de definir o seu, teve dificuldade: “Eu não sei descrever isso. Não dou prioridade pra nenhum ritmo especial. Quando as pessoas perguntam que tipo de música que toco eu falo: música brasileira, porque cabe qualquer coisa”. Com essa modéstia, talento e simpatia Dandara tem um espaço garantido nesse novo cenário musical brasileiro.

Confira a música Pirataria:


 

Um comentário:

  1. e é com muito, muito, muito orgulho e honra que eu digo que sim, desde pequena eu a conheço, e desde pequena a Danda demonstrou força, valentia e talento que eram só dela. desde as apresentações de coral da unifesp até festivais de escola, durante os vários anos de nosso crescimento pude ver sua evolução - não tão de perto, infelizmente -, e depois de ver algumas apresentações mais recentes posso dizer com certeza que essa menina vai longe! ela tem uma presença e uma desenvoltura incrível no palco, seu hábitat natural, e sua voz se solta como poucas que ouvi até agora, tamanho é o seu amor pelo que faz.
    e é isso, pode ter certeza, a chave de seu sucesso, que até agora já mostrou promissor e que nos guarda um brilho todo especial no cenário de musica brasileira atual.
    afinal ganhamos uma nova estrela.

    ResponderExcluir